Publicado por: baptistasdecantanhede | 18 de Maio de 2013

SEGUE-ME

UMA ORDEM BEM SIMPLES

Quando o Senhor vier cada um de nós prestará contas individualmente pelos próprios atos, não pelos dos outros.

Segue-me

“Segue-me tu” (João 21:22).

As vezes nos preocupamos com os outros, mas a direcção do Senhor para Pedro era bastante simples e directa – apenas três palavras simples que até uma pequena criança consegue entender.
Segue – Precisamos seguir ao Senhor, no ritmo do Senhor, e não seguir adiante apressadamente.

Me – é ao Senhor unicamente que temos que seguir, e não às emoções, desejos, outras pessoas, movimentos populares, um ensino ou doutrina particular.

Tu – isso é muito pessoal. O Senhor estava comunicando a Pedro: “Não se preocupe com João. Estou falando com você, você, Pedro. Siga-me você”. Como esta simples lição é importante! Quando o Senhor vier, eu, você, cada um de nós prestará contas individualmente pelos próprios actos – não pelos dos outros. Portanto, eu tenho que colocar o meu coração constantemente sob a luz da presença do senhor, para que Ele me sonde (Salmo 139:23).

Eu posso até me questionar sobre a forma com que D’us abençoa um grupo de crentes, mesmo que as práticas ou doutrinas deles não estejam totalmente de acordo com a Bíblia; mas isso não é da minha conta. “Segue-me tu” é a ordem de D’us para mim. Posso também olhar para o “fraco” e pequeno grupo de irmãos com os quais me reúno; e quando nos comparo a outros grupos, para não me desviar do propósito de D’us, preciso relembrar o que o Senhor falou, “Segue-me tu”, e obedecer.

Posso perceber irmãos ou irmãs que amam o Senhor, que recebem Suas bênçãos, mas que ensinam doutrinas que não são corretas, ou que estão andando em uma direcção contrária ao entendimento que tenho sobre a Palavra. Embora também os ame, o que eu tenho de fazer é obedecer à ordem do Senhor: “Segue-me tu”.

Sim, temos de encorajar e fortalecer uns aos outros. Esse é o amor cristão normal. Mas temos de fazer isso sem nos desviarmos da simples instrução do Senhor Jesus: “Segue-me tu”.

Publicado por: baptistasdecantanhede | 17 de Maio de 2013

DIA DAS MÃES

UM PRESENTE DE SHABAT

Compartilho esta maravilhosa imagem com nossos leitores. A janela da minha casa continua ornamentada com uma viçosa orquídea recebida pela minha esposa no último Dia das Mães. Cada mãe presente foi agraciada com belas orquídeas como essas, sendo que as mesmas vieram do verdadeiro orquidário particular existente na igreja. Trata-se de obras de arte do nosso D’US que são carinhosamente cultivadas pela querida irmã Helena Margalho. Recebem-na como um presente virtual neste início de Shabat.

SHABAT SHALOM LEKULAM!
(Um Sábado de Paz para Todos!)

Orquídea da Mamãe

CLIQUE SOBRE A IMAGEM E VERÁS A FOTO EM MELHOR RESOLUÇÃO

Publicado por: baptistasdecantanhede | 17 de Maio de 2013

CURA PARA A CEGUEIRA

EU ERA CEGO E AGORA VEJO

Recusar-se a ouvir e aceitar a verdade sobre D’us é permanecer em trevas, mas ir a Cristo é experimentar o que é ter luz.

Jesus O Caminho

“Uma coisa sei: eu era cego e agora vejo!” (João 9:25).

No capítulo 9 do evangelho de João lemos a história de um homem que nasceu cego e foi curado pelo Senhor Jesus. Esse homem e sua deficiência ilustram perfeitamente a condição espiritual de cada pessoa que nasce neste mundo.

A Palavra de D’us declara que o homem é cego no tocante ao seu próprio estado de perdição e a D’us. E o Filho de D’us veio ao mundo para derramar luz em nossas trevas (Salmo 18:28). Ele afirmou que era a luz do mundo (João 8:12). Sem Ele restam apenas trevas e perdição. Quem O recebe tem a “luz da vida”.

À luz da morte de Cristo na cruz fica evidente quem D’us é e quem o homem é. D’us é santo, julga o pecado, mas, ao mesmo tempo, sacrificou Seu próprio Filho pelos pecadores. E a condição do homem é tão terrível que nada, a não ser a morte do Senhor Jesus poderia nos reconciliar com D’us. Na cruz o Senhor suportou o castigo pelo pecado, para que quem nEle crer receba o perdão.

Os que se recusam a ouvir e a aceitar a verdade sobre D’us e sobre si mesmos permanecem em trevas. Mas quem vem a Cristo, a luz verdadeira, confessando sua culpa irá experimentar o que é ter luz, e mais: o que é ser luz. Essa é a cura de D’us para a nossa cegueira.

Um cristão genuíno sabe o que é ser salvo e ser filho de D’us. Sabe o que é abandonar as trevas e viver na maravilhosa luz de D’us. O relacionamento com D’us não é baseado em suposições, mas em certeza e realidade. Por isso, podemos fazer coro com o cego do versículo citado no início deste texto: “Uma coisa sei, é que havendo eu sido cego, agora vejo”!

Publicado por: baptistasdecantanhede | 13 de Maio de 2013

A MENSAGEM DE MARIA

FAZEI TUDO QUANTO ELE VOS DISSER

Se alguém diz que Maria veio à terra está a violar a Palavra de Deus, que é mais importante do que a história da narrativa que se conta sobre três pastorinhos.

Material entregue aos peregrinos de Fátima

DEVOCIONAL PARA UM 13 DE MAIO

Pastor José Lopes
Igreja Baptista em Mangualde

«Não falo em segredo, nalgum lugar tenebroso da terra… Congregai-vos e vinde: chegai-vos juntos, os que escapastes das nações; NADA SABEM OS QUE CONDUZEM EM PROCISSÃO AS SUAS IMAGENS DE ESCULTURA, FEITAS DE MADEIRA, E ROGAM A UM DEUS QUE NÃO PODE SALVAR» – Isaías 45:19 e 20.

1. Hoje é um dia especial para milhares e milhares de portugueses, a quem muito amo com o amor do Senhor;

2. Este é um dia em que este texto, e outros mais, deveriam ser divulgados com clareza, objetividade e amor à verdade que a Bíblia encerra;

3. Deus não esconde aquilo que pretende dos Seus seguidores. Já Êxodo 20: 4 e 5 encontramos as seguintes palavras «Não terás outros deuses diante de mim; Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no Céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás»;

4. Embora respeite, lamento que o meu povo, a quem amo, não tenha a Bíblia como lâmpada para os seus pés e luz para o seu caminho e siga mais as tradições dos homens, bem como as suas práticas religiosas;

5. Lamento, até porque em Êxodo 20:5 o Senhor Deus diz «Sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me odeiam». E eu não desejo a maldição de Deus sobre as famílias portuguesas e sobre a minha nação. E o texto é bem claro que a idolatria aborrece a Deus e revela falta de entendimento da verdade que a Bíblia encerra;

6. O texto inicial que apresentei, em Isaías, tem destinatários bem referenciados… aqueles que levam em procissão as suas imagens. Mas volto a ter pena dos meus contemporâneos e conterrâneos portugueses, porque o texto refere que «rogam a um deus que não pode salvar». Ou seja, rogam a alguém que têm ouvidos e não ouve, tem olhos e não vê, tem boca e não fala, alguém que nada pode fazer por aqueles que a ele rogam. (ver o Salmo 115: 4-7). E é minha missão, neste dia e não só, partilhar o desafio de Deus… e Sua óbvia revolta;

7. Esta reflexão leva-me a outro texto que se encontra em Eclesiastes 9:5 e 6, que diz «Os vivos sabem que morrerão, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tão pouco têm eles daí em diante recompensa, porque a sua memória ficou entregue ao esquecimento. Tanto o seu amor como o seu ódio e a sua inveja já pereceram; nem tem eles daí em diante parte para sempre em coisa alguma que se faz debaixo do sol». Isto significa que os meus pais, que já estão com o Senhor, nem nenhuma outra criatura, esteja ela no Céu, ou no inferno, poderá voltar a este mundo… para fazer bem, ou fazer mal. O texto é bem claro e inequívoco em relação a isso. Tenha sido qualquer Profeta, qualquer apóstolo, a própria mãe de Jesus;

8. Se alguém diz que Maria veio à terra está a violar a Palavra, que é mais importante do que a história da narrativa que se conta sobre os três pastorinhos, quer na sua versão oficial, quer na sua versão desmentida. É claramente impossível Maria ter surgido em Fátima, ou em qualquer outro lugar, porque ela, embora esteja no Céu, já não tem parte alguma, em coisa alguma, que se faça aqui na terra;

9. Quero dizer aos meus queridos amigos que não sou eu a dizer estas coisas… é a Bíblia. Assim sendo, se quiserem revoltar-se contra alguém, não é contra mim, mas contra o próprio Deus que nos deixou estas palavras…. palavras que se encontram em qualquer Bíblia, mesmo na Bíblia da Igreja que possui a maioria religiosa em Portugal;

10. Finalmente… a Bíblia fala-nos de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito santo, ou seja, a Triunidade Divina. Três Pessoas numa só… e que não admite mais ninguém. Desta forma, Maria, nem ninguém, tem estatuto igual a Deus. Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo podem revelar-se… a ti ou a mim … e mais ninguém o faz… nem a mais ninguém a Trindade, ou Triunidade, concede esse privilégio.

MINHA ORAÇÃO: Senhor, obrigado pela objetividade e clareza da tua Palavra. Somente a Ti quero adorar, rogar, venerar, servir, porque a Tua glória não a concedes a ninguém. Rogo-Te, ó Deus, que concedas ao meu povo a visão certa da Tua vontade… para que repouse a bênção sobre o meu povo, sobre as famílias portuguesa, e não a maldição. Obrigado, ó Pai, porque me desafiastes a fazer este desafio… e me encheste de ousadia para o fazer. Em Nome de Jesus, amém.

REGISTOS DE UM DIA DE EVANGELISMO

Material distribuído
Evangelho de João destacando A ÚNICA ORDEM DE MARIA em todas as Escrituras.

romeiros
Peregrinos passando por Vagos, nas proximidades da morada da família dos missionários Kedoshim.

romeiros_em_cabecinhas
Peregrinos passando por Cabecinhas, em Calvão de Vagos.

Jordana, Josh e Roberto na estrada para Fátima.
Distribuindo o Evangelho nas proximidades de Figueira da Foz, caminhando em sentido inverso aos peregrinos. Em todos os sentidos!

Alguns peregrinos caminhavam lendo o Evangelho de João
Para nossa surpresa, diversos peregrinos prosseguiram a caminhada lendo o Evangelho que lhes foi entregue.

Peregrino lendo e evangelistas à espera de Milagres
Próximo à falsos Milagres ficamos nós esperando que os Evangelhos entregues resultem em verdadeiros milagres.

Já próximo de Fátima
Próximo à Fátima a movimentação de romeiros foi intensa. Éramos poucos diante de tantos desafios, mas a Palavra de Deus foi um poderoso esteio.

Poucas recusas em receber o material
Enquanto UM peregrino recusa-se a receber, DOIS OUTROS aceitam o material: Cena rara, pois ao longo do dia a maioria recebeu de bom grado todos os Evangelhos! Aleluia.

Publicado por: baptistasdecantanhede | 13 de Maio de 2013

DIA DAS MÃES

ORIGEM DO DIA DAS MÃES

A idealizadora do Dia das Mães era crente e chamava-se Anna M. Jarvis. Nascida em Webster, West Virgínia, nos EUA, a 1° de maio de 1864, filha de Anna Reeves Jarvis e Oranville E. Jarvis, recebeu educação primária em Grafton e completou seus estudos secundários e superiores na Faculdade Feminina de Augusta, também na Virgínia, em 1881. Fez, a seguir, uma série de estudos especiais que incluíram Literatura Inglesa, Psicologia, Filosofia, Latim, Alemão, Matemática e Música. Após estes estudos. regressou a Grafton, onde foi nomeada professora da escola estadual, leccionando por sete anos seguidos. William Tapp, superintendente escolar, disse dela o seguinte: “Em toda minha larga experiência de professor e como superintendente escolar. não conheci professora tão capaz, eficiente e culta. Mulher de visão, espírito combativo, idealista, foi uma oradora fluente, lógica e convincente.

O NASCIMENTO E CONCRETIZAÇÃO DA IDEIA

Em princípios de 1900 Anna Jarvis e sua família transferem residência para Filadélfia, onde seu pai falece a 31 de dezembro de 1905. Com a morte de sua mãe, tão próxima à do seu progenitor, Anna Jarvis sofreu muitíssimo, pois desde menina era reconhecida como raro exemplo de amor filial. Foi no segundo domingo do mês de maio de 1907 que realizou a primeira celebração do Dia das Mães, em uma reunião privada, em homenagem à progenitora. Entretanto, a primeira celebração pública deu-se a 10 de maio de 1908, conforme consta da placa comemorativa que se encontra na Igreja Metodista de Grafton, West Virginiana. Eis a inscrição ali existente: “IGREJA METODISTA EPISCOPAL DE ANDREWS – IGREJA MÃE DO DIA DAS MÃES – PRIMEIRA CELEBRAÇÃO DO DIA DAS MÃES, 10 DE MAIO DE 1908 – FUNDADORA: ANNA JARVIS­MINISTRO: DR. H. C. HOWARD – SUPTE. DA ESCOLA DA IGREJA: L. L. LOAR”.

Até há bem pouco tempo tinha-se como certo o segundo domingo de 1912 como a data da primeira comemoração do Dia das Mães, entretanto, através de verificações recentes e do testemunho da placa citada, 1O de maio de 1908 é a data correta.

OFICIALIZAÇÃO

Em maio de 1910, o governador do Estado de West Virginia, William E Glasscock, decretou a primeira comemoração oficial do Dia das Mães, e em maio de 1914, por proposta do deputado Heflin, do Alabama, e do senador Sheppard, do Texas, o Dia das Mães foi incluído no calendário federal dos Estados Unidos.

O decreto foi assinado pelo Presidente Woodrow Wilson, na presença de Anna Jarvis, do secretário de Estado William Jennings Bryan e daqueles parlamentares. Entre outras resoluções, diz o decreto: “No segundo domingo do mês de maio, o pavilhão nacional deverá flutuar em todos os edifícios governamentais dos Estados Unidos e suas possessões”. O deputado Heflin disse, no ato: “Nunca uma bandeira nacional foi usada para festejar tão bela quanto sagrada comemoração, Mães da América”.

Não passou muito tempo e a data foi aceita pela maioria dos povos cristãos, vindo a cumprir-se, dessa forma, o sonho de Anna Jarvis.

INSTANTÂNEOS DA HOMENAGEM ÀS MÃES NA IGREJA BAPTISTA EM CANTANHEDE

Passe o rato sobre as fotos para ler as legendas ou clique sobre as mesmas para ampliá-las.

Pastor Heitor

Jaqueline

Eunice

Délia

Fátima e Heitor

Sara Gomes

Sara Cruz

Kawã e Henrique

Henrique

Jordana

Alice

Depois do culto

Publicado por: baptistasdecantanhede | 7 de Janeiro de 2013

OUVINDO DEUS

O UNIVERSO É O BERÇO DA VIDA

Ao contrário do que muitos pensam, a fé não começa quando reconhecemos a existência de Deus, mas quando O escutamos e confiamos nele.

Clique sobre a imagem e perceba a riqueza de detalhes desta magnífica foto feita pelo telescópio espacial Hubble.

Clique sobre a imagem acima e perceba a riqueza de detalhes desta magnífica foto feita pelo telescópio espacial Hubble.

Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas. Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criastes todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas” (Romanos 1:20; Apocalipse 4:11).

O astrofísico judeu Arno Penzias Allan, ganhador do Prémio Nobel de Física em 1978, declarou: “A astronomia nos introduz em um acontecimento singular, em um universo que foi criado a partir do nada, um universo dotado de um equilíbrio muito delicado, necessário para produzir exactamente as condições requeridas para a vida”.

Numerosos astrónomos modernos têm feito declarações semelhantes ao constatarem que o universo está regulado com precisão para possibilitar a vida humana. Muitos cientistas são levados a considerar que uma inteligência superior está necessariamente por trás da origem de tudo.

Porém, cientistas ou não, todos nós somos responsáveis, ao observarmos a natureza, por adorarmos Aquele que a criou. O grande testemunho da criação está diante de todos. Isso não é uma questão de fé, mas em primeiro lugar de bom senso, reflexão e honestidade.

Então, em que momento a fé começa a actuar? Começa não quando reconhecemos a existência de Deus, mas quando O escutamos e confiamos nele. Ele fala por meio da Bíblia, Sua palavra, na qual Se revela por Seu Filho, Jesus Cristo, a quem nos deu por Salvador.

A natureza fala connosco. A Bíblia fala connosco. O próprio Deus fala connosco. E você, tem desejado ouvi-los?

NOTA
Publicado anteriormente no blog folhetoonline.

Publicado por: baptistasdecantanhede | 21 de Dezembro de 2012

ESPECIAL DE NATAL

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL NO LAR DE IDOSOS

Apresentação da nossa igreja no Lar de Idosos de Cantanhede no dia 20 de Dezembro de 2012.

Passe o rato sobre as fotos para ler legendas

coral

Programação Especial no Lar de Idosos de Cantanhede

Victor Margalho na primeira fila

Funcionários do lar acompanharam os idosos

Idosos ouvindo solo da Jaquelini Cristo

A mensagem tocou a todos

Tomando chá após a apresentação

Fátima, Heitor e Helena Margalho

A Directora do lar agradeceu a apresentação

Publicado por: baptistasdecantanhede | 2 de Setembro de 2012

BOLETIM SETEMBRO DE 2012

NÃO HÁ BODELHAS NO PLANO DE DEUS

E quanto a vós, ó ovelhas minhas, assim diz o Senhor Deus: Eis que eu julgarei entre ovelhas e ovelhas, entre carneiros e bodes” (Ezequiel 34.17).

Infelizmente é bastante comum ouvirmos crentes reclamando da atenção que recebem de suas lideranças com frases do tipo “aquele pastor nunca foi pastor para mim nem para minha família”. Cabe aqui uma pergunta, com amor e carinho: E você foi algum dia “ovelha para os seus pastores”?

Na Bíblia, encontramos referências a ovelhas, carneiros e cordeiros, animais que são conhecidos pela docilidade e dependência do pastor. Estes animais são símbolos de mansidão, sujeição, submissão. Aliás, o próprio Filho de Deus foi-nos apresentado como Cordeiro. Encontramos também nas Sagradas Escrituras a menção de cabritos ou bodes, animais de comportamentos opostos, traiçoeiros, intempestivos, impertinentes. Alimentando-se de coisas imundas, normalmente são dados à desobediência. E em Ezequiel 34.17 o SENHOR anuncia que um dia fará separação das ovelhas e dos bodes, ou seja, dos bons e dos maus. Em Mateus 25.32,33 também vemos a mesma situação.

Na Igreja de Cristo encontramos os dois tipos de “animais”, desfrutando do mesmo ambiente, da mesma alimentação, disputando o mesmo espaço. Contudo, um tem um coração submisso e outro uma natureza rebelde.

É difícil compreender o que leva uma pessoa que deveria ser ovelha a ter um comportamento de bode. Talvez o relativismo predominante nos dias de hoje ou a luta pelo direito de igualdade contribuam para essa descaracterização do rebanho do SENHOR. Talvez estejamos a assistir o surgimento de algum tipo de mutação transgénica, de um novo rebanho, uma nova espécie. Mesclados com genes de bode e ovelha, assistimos boquiabertos ao surgimento daquilo que alguém apropriadamente resolveu chamar de “bodelha”.

Os pastores estão assustados, pois quando se aproximam de algumas pessoas procurando cumprir o dever cristão de ensinar, exortar, discipular ou – tragédia das tragédias – disciplinar, acabam por se deparar com intransponíveis barreiras humanas de comportamento arredio e defensivo que nada tem de ovelha.

E o mais grave é que este estranho fenómeno tem gerado outro mais estranho ainda: O surgimento de “igrejas” e “ministérios” voltados a atender aos interesses deste “novo rebanho”. Mesmo que isso se choque com o dever de fazer a vontade de SENHOR.

As pessoas parecem não mais se importar – nem acreditar – em conversões genuínas, no mover de Deus, na necessidade de serem novas criaturas. Parece estranho que se lhes aconselhem a serem ovelhas, que se lhes peçam para ouvirem ao pastor da Igreja e, acima de tudo, que ousemos lhes pedir para ouvir as antiquíssimas palavras do Supremo Pastor. Existe até propostas de releituras relativistas daquilo que é sagrado e daquilo que não é.

A despeito de toda esta tendência modernista, se verdadeiramente quisermos servir ao nosso Deus com zelo, seriedade e respeito, temos de nos voltar para as Sagradas Escrituras em sua inteireza. Temos que aprender mais e mais aquilo que verdadeira-mente é agradável a Deus. Caso contrário o nosso culto não passará de culto de tolos.

Deus promove transformação de vidas, fazendo-nos novas criaturas, para o louvor de Sua glória e não para a nossa vontade carnal. Ele não promove mutações transgénicas, Ele muda todo o nosso ser. E não há meio-termo, você é ovelha ou bode, pois “bodelha” é uma aberração da natureza. (Texto Adaptado)

(Clique aqui para ler um texto que foi escrito há mais de 150 anos e que, a despeito da idade, é mais actual que nunca!)

CONFERÊNCIA DA FAMÍLIA

Sexta-feira, 21, pelas 20H00 – “Vivendo bem no Casamento Apesar das Diferenças
Sábado, 22, o dia to-do: “Ministério com Casais”
Sábado, 22, pelas 20:00, “Os 10 Mandamentos para os Pais”
Domingo, 23, pelas 15H30, “Ministério Pastoral e Vida Familiar” (Conferência para os pastores e suas esposas); Domingo, pelas 18H30, “O que o Futebol ensina às Famílias”.

CALVÃO

Cultos de Estudo Bíblico, Evangelismo e Oração na nossa Congregação em Calvão de Vagos, Terça-feira, pelas 19H30.

ENCONTRO DOS AMIGOS DE SIÃO

Último sábado do mês de Setembro, dia 29.

PROGRAMAÇÃO DO ANIVERSÁRIO DA IGREJA BAPTISTA EM COIMBRA

7 Outubro, 11H00, Pregador Missionário Roberto Kedoshim
14 Outubro, 11H00, Pregador Pr. Romildo
21 Outubro, 11H00, Pregador Pr. Heitor Gomes
28 Outubro, 11H00, Pregador Pr. Marcos Amazonas. Neste domingo haverá culto de Ceia do Senhor e almoço comunitário com toda a Igreja reunida, Coimbra e Cantanhede.

DIA DOS VIVOS

Dia 01/11, pelas 21H00, haverá uma palestra subordinada ao tema: “Como lidar com as perdas”. Será oradora a irmã Bertina Coias, Psicóloga consagrada e usada por Deus em várias localidades. Orem por este evento para que Deus atraia a si muitas almas famintas do evangelho de Jesus Cristo. O local está a ser definido. Auditório do Museu da Pedra ou Biblioteca Municipal.

ANIVERSARIANTES DO MÊS

2 – Soraia
3 – Débora Larsen
9 – Lucília
13 – Helena Paula/Toni
15 – Eunice Silva
27 – João Paulo
21 – Gesevaldo
21 – Kawã
22 – Josiane
27 – Meiriely/Alvimar
29 – Santiago Pinto
29 – Filipe
30 – Ivo Bica
1 Outubro – Alice Gomes Simões

CONHEÇA A IGREJA BAPTISTA EM CANTANHEDE

Visite-nos na Rua Marquês de Marialva, n° 35 – 3060-184
Pr. Heitor Gomes: 239 948 129 / 917 187 551
Escola Bíblica Dominical, Domingos, pelas 10H30
Cultos de Louvor e Evangelismo, Domingos após a EBD
Culto de Estudos Bíblicos e Oração, Quartas-feiras, pelas 20H00

BAPTISTAS DE CANTANHEDE NA NET

baptistasdecantanhede.wordpress.com
facebook.com/igreja.decantanhede
baptistasonline@live.com

PARA IMPRIMIR O BOLETIM CLIQUE NO LINK ABAIXO
Boletim Baptista de Cantanhede Edição de Setembro de 2012

Publicado por: baptistasdecantanhede | 15 de Agosto de 2012

A VERDADEIRA IGREJA DE JESUS CRISTO

SOLA SCRIPTURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE… CUM PROCACES

O grupo que reuniu-se na primeira noite em Cabecinhas, Calvão de Vagos.

Todas as terças-feiras acontecem reuniões da nossa igreja na pequena congregação que reúne-se em Cabecinhas, um Lugar da Aldeia de Calvão de Vagos. Desde o primeiro culto não são muitas as almas que lá se encontram, mas a cada dia são fortalecidos os laços que unem estes membros, não só pela boa Palavra que é lida como pelo boa comida que é partilhada após cada reunião. Afinal de contas, o povo de D’us, independentemente das circunstâncias ou adversidades, é instado a “comer das gorduras e beber das doçuras” daquilo que o SENHOR nos dá (Neemias 8.10).

Não há uma infraestrutura de templo, ou seja, não temos bancos nem púlpito, pois a casa é a residência de um casal de missionários, todavia o louvor que é cantado e a Palavra que é pregada procura fundamentar-se na sã doutrina e para que esta seja posta em prática não precisamos de grandes recursos. Não sentimos falta do PowerPoint, tampouco temos, nem a sala comportaria, um grupo de louvor. Tudo é feito no melhor estilo “igreja primitiva”.

Nos dias de hoje uma igreja assim não é lá tão atraente e estamos certo de que, provavelmente, muitos poderiam sair frustrados se um dia nos visitasse. Infelizmente a Igreja moderna está virando empresa e os culto tornando-se meros espectáculos onde crentes marcam presença. Só que neste processo Jesus Cristo está a se tornar uma mera figura decorativa.

Na noite deste terça-feira, 14, avançamos no estudo de Actos dos Apóstolos e chegamos àquele ponto onde Saulo de Tarso tem o impactante encontro com o Senhor Jesus. O versículo 4 do capítulo 9 nos chamou especial atenção: “E, caindo [Saulo] em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?” É interessante ver que Jesus Cristo a essa altura não representava mais um perigo para Roma nem para o judaísmo farisáico de Saulo. Anulado que fora pela crucificação, Jesus em si não podia mais ser fisicamente perseguido. Entretanto, Saulo perseguia a Igreja e, nas palavras do Mestre, perseguir a Igreja é perseguir o próprio Senhor Jesus.

Que terrível constatação! Vivemos tempos em que a igreja de Cristo é achincalhada das mais diversas formas, seja pelo mau testemunho dos seus membros, pela condução duvidosa dos seus líderes ou pela metamorfose pela qual está passando sua liturgia. Já não basta a ênfase luterana do “Sola Scriptura, sola Gratia, Sola Fide” (“Somente as Escrituras, Somente a Graça, Somente a Fé”), é preciso acrescentar o “Cum Procaces”, para dar guarida também às “Frivolidades”. E pobres das igrejas que ousam manter as estruturas por muitos alcunhadas de arcaicas. Quem não se enquadra nos padrões mundanos é relegado à marginalidade no moderno movimento “gospel”.

No mesmo dia em que a Congregação Baptista em Cabecinhas debruçou-se sobre a História dos crentes dos tempos dos Actos dos Apóstolos, nosso Calendário Boa Semente, distribuído no início do ano, trouxe uma importante reflexão sobre o papel da Igreja, texto que passamos a reproduzir na íntegra:

ORIGEM DIVINA

Para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades” (Efésios 2.15b,16).

A Igreja, corpo de Cristo, tem origem divina. Não há nada que possamos fazer para nos tornarmos membros do corpo de Cristo. O Espírito Santo tem formado o corpo e o mantido em perfeita união com Cristo, o Cabeça ressurrecto nos céus.

Graças a D’us, nenhum esforço ou boa intenção humana e nenhum ataque de Satanás pode mudar, melhorar, anular, alterar ou destruir esse glorioso fato de sermos um com Cristo. Ele é a Cabeça, nós somos Seu corpo. E tem sido assim com cada santo comprado pelo sangue desde Pentecostes, não importa a raça, cultura, língua, nacionalidade, credo, educação ou qualquer outra classificação. Maravilhosa verdade, maravilhosa graça!

Em sua graça soberana, D’us chama cada indivíduo que faz +arte da Igreja. E Ele nos tem chamado não porque nascemos em boa família, temos bons princípios, pensamos no que é bom ou porque façamos qualquer coisa boa. Ao contrário! “Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência; entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também” (Efésios 2.2,3). Sua chamada foi por causa de Seu amor. Só podemos nos extasiar com esse amor derramado sobre nós. Por que eu!?

Ele queria um povo a quem pudesse mostrar as riquezas da Sua graça e glória. Aceitar isso pela fé nos libertará e preservará de cada ardil que embaraça as pessoas em esquemas que apenas visam exaltar os homens e roubar de Cristo o que Lhe é devido. Todos os aditivos, actividades planeadas ou esforços humanos para melhorar a igreja irão somente desfigurar o seu carácter celestial. O corpo foi deixado neste mundo com o expresso objectivo de demonstrar as características morais de Cristo, o Cabeça, e não de peculiaridades culturais ou opiniões de líderes. No instante em que se tenta misturar coisas celestiais com coisas humanas, o resultado é um grande caos, como se vê hoje na cristandade.

Todavia o fundamento de Deus fica firme , tendo este selo : O Senhor conhece os que são seus , e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade” (2 Timóteo 2.19).

UMA REFLEXÃO MAIS QUE APROPRIADA

Para concluir este raciocínio, aconselhamos vivamente que possas ler artigo do próximo post deste blog. Escrito por Charles Haddon Spurgeon há mais de 100 anos, o texto Alimentando Ovelhas ou Divertindo Bodes está mais actual que nunca!

Publicado por: baptistasdecantanhede | 15 de Agosto de 2012

CHARLES HADDON SPURGEON

ESTE TEXTO FOI ESCRITO À CERCA DE 150 ANOS!

Charles Haddon Spurgeon pregando na Igreja Baptista Tabernáculo Metropolitano na concepção de um desenhista da época.

ALIMENTANDO OVELHAS OU DIVERTINDO BODES

Existe um mal entre os que professam pertencer aos arraiais de Cristo, um mal tão grosseiro em sua imprudência, que a maioria dos que possuem pouca visão espiritual dificilmente deixará de perceber. Durante as últimas décadas, esse mal tem se desenvolvido em proporções anormais. Tem agido como o fermento, até que toda a massa fique levedada. O diabo raramente criou algo mais perspicaz do que sugerir à igreja que sua missão consiste em prover entretenimento para as pessoas, tendo em vista ganhá-las para Cristo. A igreja abandonou a pregação ousada, como a dos puritanos; em seguida, ela gradualmente amenizou seu testemunho; depois, passou a aceitar e justificar as frivolidades que estavam em voga no mundo, e no passo seguinte, começou a tolerá-las em suas fronteiras; agora, a igreja as adotou sob o pretexto de ganhar as multidões.

Minha primeira contenção é esta: as Escrituras não afirmam, em nenhuma de suas passagens, que prover entretenimento para as pessoas é uma função da igreja. Se esta é uma obra cristã, por que o Senhor Jesus não falou sobre ela? Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. (Mc 16.15) Isso é bastante claro. Se Ele tivesse acrescentado: E oferecei entretenimento para aqueles que não gostam do evangelho, assim teria acontecido. No entanto, tais palavras não se encontram na Bíblia. Sequer ocorreram à mente do Senhor Jesus. E mais: Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres. (Ef 4.11). Onde aparecem nesse versículo os que providenciariam entretenimento? O Espírito Santo silenciou a respeito deles. Os profetas foram perseguidos porque divertiam as pessoas ou porque recusavam-se a fazê-lo? Os concertos de música não têm um rol de mártires.

Novamente, prover entretenimento está em direto antagonismo ao ensino e à vida de Cristo e de seus apóstolos. Qual era a atitude da igreja em relação ao mundo? Vós sois o sal, não o docinho, algo que o mundo desprezará. Pungente e curta foi a afirmação de nosso Senhor: Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos (Lc 9.60). Ele estava falando com terrível seriedade!

Se Cristo houvesse introduzido mais elementos brilhantes e agradáveis em seu ministério, teria sido mais popular em seus resultados, porque seus ensinos eram perscrutadores. Não O vejo dizendo: Pedro, vá atrás do povo e diga-lhe que teremos um culto diferente amanhã, algo atraente e breve, com pouca pregação. Teremos uma noite agradável para as pessoas. Diga-lhes que com certeza realizaremos esse tipo de culto. Vá logo, Pedro, temos de ganhar as pessoas de alguma maneira! Jesus teve compaixão dos pecadores, lamentou e chorou por eles, mas nunca procurou diverti-los. Em vão, pesquisaremos as cartas do Novo Testamento a fim de encontrar qualquer indício de um evangelho de entretenimento. A mensagem das cartas é: Retirai-vos, separai-vos e purificai-vos! Qualquer coisa que tinha a aparência de brincadeira evidentemente foi deixado fora das cartas. Os apóstolos tinham confiança irrestrita no evangelho e não utilizavam outros instrumentos. Depois que Pedro e João foram encarcerados por pregarem o evangelho, a igreja se reuniu para orar, mas não suplicaram: Senhor, concede aos teus servos que, por meio do prudente e discriminado uso da recreação legítima, mostremos a essas pessoas quão felizes nós somos. Eles não pararam de pregar a Cristo, por isso não tinham tempo para arranjar entretenimento para seus ouvintes. Espalhados por causa da perseguição, foram a muitos lugares pregando o evangelho. Eles transtornaram o mundo. Essa é a única diferença! Senhor, limpe a igreja de todo o lixo e baboseira que o diabo impôs sobre ela e traga-nos de volta aos métodos dos apóstolos.

Por último, a missão de prover entretenimento falha em conseguir os resultados desejados. Causa danos entre os novos convertidos. Permitam que falem os negligentes e zombadores, que foram alcançados por um evangelho parcial; que falem os cansados e oprimidos que buscaram paz através de um concerto musical. Levante-se e fale o alcoólatra para quem o entretenimento na forma de drama foi um elo no processo de sua conversão! A resposta é óbvia: a missão de prover entretenimento não produz convertidos verdadeiros. A necessidade atual para o ministro do evangelho é uma instrução bíblica fiel, bem como ardente espiritualidade; uma resulta da outra, assim como o fruto procede da raiz. A necessidade de nossa época é a doutrina bíblica, entendida e experimentada de tal modo, que produz devoção verdadeira no íntimo dos convertidos.

Older Posts »

Categorias